Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

24.03.12

PIADA NA IGREJA


izoton

 

ESPECIAL PARA AMBIENTE FECHADO

          A Igreja estava lotada, e Isabel disse ao seu marido, em voz bem baixa:

          — Eu acabei de soltar um pum. Ainda bem que não fedeu.

          E o seu marido lhe disse:

          — Quando chegarmos em casa me lembre de eu colocar o remédio de obstrução nasal em você...

          Alguns minutos depois ela voltou a falar com o seu marido:

          — Eu acabei de soltar outro pum. Ainda bem que foi um pum bem silencioso. O que você acha que eu devo fazer?

          E o seu marido lhe respondeu:

          — Agora, nada. Quando sairmos da Igreja me lembre de comprar uma bateria nova para o teu aparelho auditivo...

24.03.12

MENSAGEM BÍBLICA


izoton

 

           IMAGEM DO SITE DE JANETE ISOTON 

   https://picasaweb.google.com/janete.isoton/RamalhetesEBuquesParaOrkut?

 

A LINGUAGEM AMOROSA DE CANTARES (7 E 8)

          O amor é forte como a morte. As muitas águas não podem apagar este amor, e nem os rios afogá-lo.

          Disse ele:

          — Quão formosa, e quão aprazível és, ó amor em delícias! A tua estatura é semelhante à palmeira, e os teus seios são semelhantes aos cachos de uvas. Eu subirei à palmeira, e pegarei em seus ramos. E então os teus seios serão como os cachos na vide, e o cheiro da tua respiração como o das maçãs.

          Disse ela:

          — E os teus beijos como o bom vinho para o meu amado, que se bebe suavemente, e faz com que falem os lábios dos que dormem.  Eu sou do meu amado, e o seu ardente desejo o traz a mim. Vem, ó amado meu, saiamos ao campo, passemos as noites nas aldeias.  Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se já aparecem as tenras uvas, se já brotam as romãzeiras. Ali eu te darei o meu amor. As mandrágoras exalam o seu perfume, e às nossas portas há todo o gênero de excelentes frutos, novos e velhos. Eu os guardei para ti, ó amado meu.

          E ela completou:

          — Vem depressa, amado meu, e faze-te semelhante ao gamo, ou ao filho da gazela, sobre os montes dos aromas.