Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

30.08.14

EU, HEIM


izoton

 

É RUIM DE EU VIRAR PICOLÉ!

          João comprou um papagaio, como sendo um papagaio novo, que falava apenas nomes de pessoas, e assobiava. Logo ao chegar em casa, ele já ficou decepcionado, pois o papagaio soltou logo uma dúzia de palavrões, dizendo que estava feliz por morar em uma casa tão bonita. João sentiu que precisaria reeducar aquele pássaro falante, por isso ele começou a falar poesias perto dele, ao som de músicas clássicas. Mas, a cada poesia ouvida, o louro soltava um palavrão, dizendo que nunca tinha ouvido uma poesia tão bonita.

          João viu que precisava mudar de tática, e passou a gritar, a ameaçar, e a bater no papagaio. Mas, quanto mais João se aborrecia, mais o papagaio soltava palavrões, pedindo que João se acalmasse. No outro dia, depois de várias tentativas de amansar o papagaio, João não aguentou mais, e cheio de raiva, ele jogou o papagaio dentro do freezer, no meio de carnes, de peixes, e de um frango congelado. Durante quase um minuto o papagaio xingou João, e xingou toda a família dele. De repente, o silêncio. João achou que o papagaio tinha parado de xingar porque já estava congelado, e abriu o freezer. Imediatamente o papagaio começou a fazer um discurso:

          — Meu amigo João, eu sei que a minha maneira de falar não te tem agradado, pois ela é imprópria para o bom ambiente familiar que reina nesta tua casa. Eu sei que as minhas maneiras não estão de acordo com a especial atenção que o senhor me tem dado. Se ainda é possível, eu gostaria de te pedir perdão por tudo de errado que tenho feito. Eu te prometo que daqui prá frente eu nunca mais falarei nenhum palavrão, e me comportarei de maneira respeitosa...

          João ficou com pena do papagaio, retirou-o do freezer, e lhe disse:

          — Tudo bem, eu vou acreditar no que você está falando. Mas fique certo de uma coisa: Se você falar mais um palavrão, eu te coloco de volta dentro do freezer, junto com o frango congelado.

          O papagaio, que já estava nas mãos de João, ainda tremendo de frio, olhou para o frezeer, que ainda estava aberto, olhou para o frango congelado, olhou para João, e perguntou, quase chorando:

          — Meu amigo João, só por curiosidade: O que foi que o pobrezinho do frango te fez?

26.08.14

UMA EXECUÇÃO


izoton

 

BEM ROMÂNTICA

          Conta-se que um brasileiro estava no Paraguai, e, ao passar perto de um presídio, ele ouviu gritos desesperados. Então ele perguntou a um guarda, que estava de sentinela, em frente ao presídio:

          — O que está acontecendo aí dentro? Que gritos são esses?

          E a sentinela lhe respondeu:

          — Nada de mais, senhor. O que está acontecendo é o seguinte: Um dos presidiários foi condenado a morrer na cadeira elétrica, porém nós estamos sem energia elétrica no presídio. Então, como a execução do presidiário está marcada para hoje, nós resolvemos matá-lo à luz de velas, mesmo...

23.08.14

UM SUPERMERCADO


izoton

 

MUITO DISTANTE

          Naquele dia João saiu bem cedo de casa, para ir ao supermercado comprar tomate e coentro, porque Tereza, a sua mulher, ia preparar uma gostosa muqueca capixaba. Doze anos depois disso, ele voltou, trazendo uma sacola com tomates. João bateu à porta, e Tereza o recebeu, com aquela sua cara que dá para se imaginar, e lhe disse:

          — Isso é coisa que se faça, João! Você saiu de casa há doze anos atrás, e me chega aqui agora, com essa sua cara lavada? Você está pensando que eu sou o quê? Enquanto você estava por aí, aproveitando a vida sei lá com quem, eu estava aqui, cuidando da casa, cuidando dos filhos, passando mil necessidades. Você está pensando que agora é chegar assim, como quem não fez nada, e que eu vou recebê-lo de braços abertos? Saiba você que…

          Nesse momento João olhou para o pacote de tomates em suas mãos, e foi saindo para a rua. Então Tereza lhe perguntou:

          — Ei, João, para aonde você vai?

          Aí João parou, olhou para Tereza, e lhe disse:

          — Caramba, Tereza, e não é que eu me esqueci de comprar o coentro!...

Pág. 1/4