Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

03.10.15

Ô TREM


izoton

DOIDO, SÔ!

          Genildo bebeu um pouco mais do que de costume, e saiu tropeçando pela estrada de Aimorés, lá em Minas Gerais-Brasil. Na hora de atravessar a ferrovia da Vale do Rio do Doce, o seu pé ficou preso entre os trilhos do trem. Ele puxou daqui, puxou dali, mas o seu pé não se soltou. Parece que, quanto mais ele se torcia, mais ele se machucava, e mais preso o seu pé ficava. Ele já estava gemendo de dor, com todo aquele seu inútil esforço, quando ele ouviu o apito do trem, lá na curva. Na mesma hora ele gritou:

          — Ô meu Deus, me ajude a me soltar dos trilhos!

          Ao mesmo tempo em que ele pedia ajuda a Deus, ele continuava se esforçando para sair do trilho do trem. Ele torceu todo o seu corpo, mas quanto mais ele se esforçava, mais o seu pé ficava agarrado. E o trem continuava apitando, e cada vez mais se aproximando dele. Então Genildo disse:

          — Oh, meu Deus, se o Senhor me ajudar a me soltar do trilho, eu nunca mais vou beber...

          Apesar de tudo isso, ele não conseguia se soltar. E o trem mais se aproximava dele... Desesperado, ele olhou para o céu, e clamou:

          — Senhor Deus, me ajude, por favor! Se o Senhor me livrar desta eu prometo que nunca mais vou fazer nada de errado na minha vida!...

          E o trem já estava a poucos metros dele, quando ele conseguiu fazer com que o seu pé se soltasse dos trilhos. Só deu tempo de ele pular fora da linha do trem, e o trem passou, zunindo. Ele foi salvo por uns poucos segundos. Então Genildo sacudiu a poeira de sua roupa, e disse para si mesmo, aliviado:

          — Uai, e não é que eu consegui sair dessa!

          Depois Genildo olhou mais uma vez para o céu, e disse:

          — Olhe, meu Deus, o Senhor não precisa mais se preocupar comigo, não, tá! Eu consegui me soltar sozinho!