Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

02.04.16

EU


izoton

PROMETO

          O Padre Ronaldo estava para ser transferido para uma outra paróquia, por isso ele foi homenageado com um jantar no Salão Nobre da Prefeitura. Ele estava na paróquia do Vale Verde há mais de 20 anos, e era muito querido por seu trabalho social e religioso.

          O Prefeito do Vale Verde faria a abertura da cerimônia, com um discurso de elogio, e de despedida do Sacerdote. Mas um imprevisto fez com que o Prefeito se atrasasse, e o Vice Prefeito deu ao Padre Ronaldo a honra de iniciar a solenidade. Então o Padre começou o seu discurso de agradecimento:

          — A primeira impressão que eu tive, quando cheguei aqui nesta paróquia, foi a pior possível. Logo no primeiro dia em que aqui cheguei, eu ouvi a confissão de um cidadão deste lugar, e fiquei horrorizado. Eu cheguei a pensar: meu Deus, a que lugar terrível o Bispo me enviou! Este cidadão, que foi o primeiro a se confessar comigo, me contou que ele tinha roubado um aparelho de som de um amigo dele, que tinha roubado dinheiro de seus pais, que tinha falsificado cheques na Firma onde ele trabalhou como secretário, e que teve aventuras amorosas com a mulher do seu Chefe. Ele também contou que nas horas vagas ele se dedicava ao tráfico e à venda de drogas.

          Todos os convidados do jantar estavam atentos ao discurso do Padre, que fez uma pausa, e depois continuou:

          — Eu fiquei muito assustado, pois se o primeiro a se confessar comigo me contou tanta perversidade, imagine o que eu não ouviria nas próximas confissões! Mas pouco a pouco eu fui conhecendo toda a nossa Comunidade, e foram quase vinte e cinco anos convivendo com gente responsável, comprometida com as coisas da Igreja e Sociedade. Então eu vi que aquele homem que tinha sido o primeiro a se confessar comigo era o único sujeito realmente perverso deste lugar.

          Neste momento chegou o Prefeito, e o Padre Ronaldo parou o seu discurso e passou o microfone para ele. O Prefeito começou o seu discurso pedindo desculpas pelo seu atraso, e disse:

          — Jamais vou me esquecer do primeiro dia em que o Padre Ronaldo chegou aqui na nossa Paróquia! E como eu poderia me esquecer? Afinal de contas eu tenho a honra de ter sido o primeiro cidadão desta cidade a me confessar com ele!...