Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

26.11.16

UM CIENTISTA


izoton

SURDO DAS PERNAS

          Um cientista, uns dizem que ele é português, outros dizem que ele é brasileiro, começou uma pesquisa sobre aranhas. No primeiro dia de experiências, ele pegou uma aranha, colocou-a sobre a mesa, e disse:

          — Ande, aranha... ande, minha bichinha...

          A aranha andou, e isso foi registrado nos autos da pesquisa: "A aranha anda, quando eu a mando andar". Depois ele cortou uma perna da aranha, e repetiu a ordem.

          — Ande, aranha... ande, minha bichinha...

          A aranha andou, embora meio mancando, e o cientista registrou: "A aranha anda, mesmo sem uma perna". Em seguida ele cortou mais uma perna da aranha, e repetiu:

          — Ande, aranha... ande, minha bichinha...

          A aranha andou, embora com mais dificuldade, e o cientista registrou: "A aranha anda, mesmo sem duas pernas". E assim o cientista foi fazendo, cortando uma perna da aranha, a cada experiência, e registrando os resultados. Finalmente a aranha ficou com apenas uma perna, e o cientista disse:

          — Ande, aranha... ande, minha bichinha...

          E a aranha, mesmo se rastejando, conseguiu andar. Então o cientista cortou a última perna da aranha, e disse:

          — Ande, aranha... ande, minha bichinha...

          Mas a aranha, sem nenhuma de suas pernas, não consegui andar, e nem se mexeu. E ele repetiu, mais três vezes, sempre dizendo:

          — Ande, aranha... ande, minha bichinha...

          Mas a coitada da aranha permaneceu imóvel. Então o cientista concluiu a pesquisa, relatando:

          — A aranha, sem pernas, fica surda...