Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

IZOTON - HUMOR

- Um blog de um brasileiro de Vila Velha-ES, elaborado em um Provedor português. Obrigado, Equipe SAPO! Este blog é feito com muito amor, e com muito humor. O meu lema: Viver a vida a sério, mas brincando. O meu objetivo: Fazer alguém sorrir.

19.06.13

MANIFESTAÇÕES NO BRASIL


izoton

 

O BRASIL ACORDOU

O ESTOPIM FOI ACESO!...

          Manifestações têm sido realizadas em todas as Capitais, contra o Governo, de uma maneira geral, reivindicando respeito ao cidadão, nos Transportes, na Saúde, na Educação. E o povo está indicando que vai lutar por um basta à corrupção política.

========== ***** ==========

09.03.12

AINDA É DIA DA MULHER


izoton

 

 

FLORES PARA A MINHA FLOR

Essas flores são para todas as mulheres,

sem as quais os jardins não teriam flores.

Se as mulheres não existissem,

os jardins até poderiam ter flores,

mas nós nem perceberíamos as flores.

E mesmo que percebêssemos as flores,

tão lindas,

e tão delicadas,

elas de nada nos serviriam,

se as mulheres não existissem…

As mulheres são a razão de existirem

os jardins,

e as flores.

E se as mulheres não existissem,

para que existiríamos nós homens?

Mas as mulheres existem,

as flores existem,

e nós homens também existimos.

E quando Deus criou a mulher,

Ele também criou as flores,

para que percebamos que as mulheres

são muito mais lindas,

e muito mais delicadas,

do que as flores…

A mulher é uma flor,

e eu gosto muito de uma flor,

uma linda e delicada flor,

uma flor chamada mulher,

uma mulher chamada Ju...

 

07.01.12

A MATEMÁTICA É UMA PIADA


izoton

 

O HOMEM QUE CALCULAVA

          OBS: Texto de Malba Tahan, pseudônimo de Júlio César de Mello e Souza (06/05/1895 - 18/06/1974), matemtático e escritor brasileiro. Como professor ele nunca dava zero a um aluno, pois ele dizia: "Por que dar zero, se há tantos números?".

========== ***** ==========

          Poucas horas havia que viajávamos sem interrupção, quando nos ocorreu uma aventura digna de registro, na qual meu companheiro Beremiz, com grande talento, pôs em prática as suas habilidades de exímio algebrista. Encontramos, perto de um antigo caravançará meio abandonado, três homens que discutiam acaloradamente ao pé de um lote de camelos. Por entre pragas e impropérios gritavam possessos, furiosos:

          — Não pode ser!

          — Isto é um roubo!

          — Não aceito!

          O inteligente Beremiz procurou informar-se do que se tratava, e um dos homens, que era o irmão mais velho, esclareceu:

          — Somos irmãos e recebemos, como herança, esses 35 camelos. Segundo a vontade expressa de meu pai, devo receber a metade, o meu irmão Hamed Namir uma terça parte, e ao Harim, o mais moço, deve tocar apenas a nona parte. Não sabemos, porém, como dividir dessa forma os 35 camelos, e a cada partilha proposta segue-se a recusa dos outros dois, pois a metade de 35 é 17 e meio. Como fazer a partilha, se a terça parte e a nona parte de 35 também não são exatas?

          E Beremiz, o homem que calculava, lhe disse:

          — É muito simples. Eu me encarrego de fazer, com justiça, essa divisão, se me permitirem que eu junte, aos 35 camelos da herança, este belo animal que, em boa hora, aqui nos trouxe!

          Então eu disse ao homem que calculava:

          — Não posso consentir em semelhante loucura! Como poderíamos concluir a viagem, se ficássemos sem o camelo?

          Mas o homem que calculava me disse, em voz baixa:

          — Não te preocupes com o resultado, ó bagdali! Sei muito bem o que eu estou fazendo. Cede-me o teu camelo, e verás no fim a que conclusão quero chegar.

          Tal foi o tom de segurança com que ele me falou, que não tive dúvida em lhe entregar o meu belo jamal, que imediatamente foi reunido aos 35 ali presentes, para serem repartidos entre os três herdeiros.

          E ele disse:

          — Vou fazer a divisão justa e exata dos camelos, que são agora, como vêem, em número de 36.

          E, voltando-se para o mais velho dos irmãos, assim falou:

          — Deverias receber, meu amigo, a metade de 35, isto é, 17 e meio. Receberás a metade de 36 e, portanto, 18. Nada tens a reclamar, pois é claro que saístes ganhando com esta divisão!

          E, dirigindo-se ao segundo herdeiro, continuou:

          — E tu, Hamed Namir, deverias receber um terço de 35, isto é, 11 e pouco. Vais receber um terço de 36, isto é, 12. Não poderás protestar, pois tu também saíste com visível lucro na transação.

          E disse, por fim, ao mais moço:

          — E tu, jovem Harim Namir, segundo a vontade de teu pai, deverias receber uma nona parte de 35, isto é, 3 e tanto. Vais receber uma nona parte de 36, isto é, 4. O teu lucro foi igualmente notável. Só tens a me agradecer pelo resultado!

          E ele concluiu, com a maior segurança e serenidade:

          — Pela vantajosa divisão feita entre os irmãos Namir, partilha em que todos saíram lucrando, couberam 18 camelos ao primeiro, 12 ao segundo, e 4 ao terceiro, o que dá um resultado (16+12+4) de 34 camelos. Dos 36 camelos sobram, portanto, dois. Um pertence, como sabem, ao bagdali, meu amigo e companheiro. O outro toca por direito a mim, por eu ter resolvido, a contento de todos, o complicado problema da herança!

          E o irmão mais velho lhe disse:

          — Sois inteligente, ó estrangeiro! Aceitamos a vossa partilha, na certeza de que foi feita com justiça e equidade!

          E o astucioso Beremiz, o Homem que Calculava, tomou logo posse de um dos mais belos “jamales” do grupo, e me disse, entregando-me pela rédea o animal que me pertencia:

          — Poderás agora, meu amigo, continuar a viagem no teu camelo manso e seguro! Agora eu tenho um, especialmente para mim!

          E continuamos nossa jornada para Bagdá.

03.12.11

PIADA DE PROFESSOR


izoton

 

PIADA É O QUE FAZEM COM O PROFESSOR         

          NOTA: O autor deste texto, crítico, mas bem humorado, é o Professor Eduardo Machado, de Belo Horizonte - Minas Gerais-Brasil. http://eduardomachadobh.blogspot.com/

========== ***** ==========

          Naquele tempo Jesus subiu a um monte, seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem. Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens. Tomando a palavra, disse-lhes:-

          — Em verdade vos digo: Felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus. Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Felizes os misericordiosos, porque eles...

          Pedro o interrompeu, dizendo:

          — Mestre, vamos ter que saber isso de cor?

          André disse:

          — É para copiar no caderno?

          Filipe lamentou-se:

          — Esqueci meu papiro!

          Bartolomeu quis saber:

          — Vai cair na prova?

          João levantou a mão:

          — Posso ir ao banheiro?

          Judas Iscariotes resmungou:

          — O que é que a gente vai ganhar com isso?

          Judas Tadeu defendeu-se:

          — Foi o outro Judas que perguntou!

          Tomé questionou:

          — Tem uma fórmula para provar que isso tá certo?

          Tiago Maior indagou:

          — Vai valer nota?

          Tiago Menor reclamou:

          — Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.

          Simão Zelote gritou, nervoso:

          — Mas por que não dá logo a resposta, e pronto!?

          Mateus queixou-se:

          — Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!

          Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão, nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:

          — Isso que o senhor está fazendo é uma aula? Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica? Quais são os objetivos gerais e específicos? Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?

Caifás emendou:

          — Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas? E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais? Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?

          Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:

          — Quero ver as avaliações da primeira, segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade. Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto.

          Jesus ia retomar a palavra, mas Pilatos o interrompeu, dizendo:

          — E vê lá se não vai reprovar alguém! Lembre-se que você ainda não é professor titular...

          Jesus deu um suspiro profundo, pensou em ir à sinagoga e pedir aposentadoria proporcional, aos trinta e três anos. Mas, tendo em vista o fator previdenciário e a regra dos 95, desistiu. Pensou em pegar um empréstimo consignado com Zaqueu, voltar para Nazaré e montar uma padaria... Mas Ele olhou de novo a multidão. Eram como ovelhas sem pastor... Seu coração de educador se enterneceu e Ele continuou:

          — Felizes vocês, se forem desrespeitados e perseguidos, se disserem mentiras contra vocês por causa da Educação. Do mesmo modo perseguiram outros educadores que vieram antes de vocês. Fiquem alegres e contentes, porque será grande a recompensa no céu.

          Tomé, sempre resmungão, reclamou:

          — Mas só no céu, Senhor?

          Então Jesus disse:

          — Tem razão, Tomé, há quem queira transformar minhas palavras em conformismo e alienação.. Eu lhes digo, NÃO! Não se acomodem. Não fiquem esperando, de braços cruzados, uma recompensa do além. É preciso construir o paraíso aqui e agora, para merecer o que vem depois...

          E Jesus concluiu:

          — Vocês, meus queridos educadores, são o sal da terra e a luz do mundo...

20.07.11

UMA PIADA MUSICAL


izoton

 

UM VIOLINO MUITO BEM HUMORADO

          A dupla Igudesman (mestre no violino) e Joo (mestre no piano, e também no aspirador de pó, e na vassoura) nos apresenta um quadro muito engraçado, de apenas 3,50 minutos.

          Trata-se de dois profissionais de excelente e reconhecida qualidade. Se você gosta de piano, violino, e música clássica, divirta-se! E se, além disso, você gosta de muito humor, então divirta-se, ainda mais!

 

25.03.11

ISSO NÃO É PIADA


izoton

 

RAVEL A OITO MÃOS

          A Música Clássica é uma de minhas paixonites. E este vídeo, de apenas 2,53 minutos, é uma bela apresentação da música de Ravel. O instrumento musical é um só: violoncelo. Mas é um violoncelo tocado por quatro bons instrumentistas. E além disso eles fazem uma apresentação bem simpática, meio comédia, que é para ficar ainda mais gostoso.

 

08.03.11

UMA FLOR CHAMADA MULHER


izoton

 

 

A MINHA HOMENAGEM ÀS MULHERES

- Eu procurei registrar em palavras todo o carinho que tenho pela mulher. Mas eu sei que foi pouco, pois a mulher é muito mais do que palavras. Tudo o que eu faço é com muito carinho pela mulher. Quando Deus criou a mulher, Ele o fez com muito mais carinho. E que Deus continue abençoando todas as mulheres, muito e sempre. Bem, espero que elas gostem do que eu escrevi para elas, abaixo:

 

Essas flores são para todas as mulheres,

sem as quais os jardins não teriam flores.

Se as mulheres não existissem,

os jardins até poderiam ter flores,

mas nós nem perceberíamos as flores.

E mesmo que percebêssemos as flores,

tão lindas,

e tão delicadas,

elas de nada nos serviriam

se as mulheres não existissem

As mulheres são a razão de existirem

os jardins,

e as flores.

E se as mulheres não existissem,

para que existiríamos nós homens?

Mas as mulheres existem,

as flores existem,

e nós também.

E quando Deus criou a mulher,

Ele também criou as flores,

para que percebamos que as mulheres

são muito mais lindas,

e muito mais delicadas,

do que as flores…

A mulher é uma flor,

uma flor chamada mulher...